Jambu, parte 1. Tirando sementes. As flores, depois de alguns dias abertas, come…


Jambu, parte 1. Tirando sementes. As flores, depois de alguns dias abertas, começam a ficar com aspecto de “fofas” (veja a última foto). Basta apertar, e saem centenas de pequenas sementes pretas, que brotam quando voltam as chuvas ou faz calor. Deixe secar e guarde – elas mantém a viabilidade por pelo menos alguns anos. Ele pega fácil de galho, só deixar na água ou na terra.
.
Esse jambu da foto, o jambu-miudo ou #acmellaciliata é nativo e dá no Brasil todo, de Norte a Sul. Nas regiões mais frias dá no verão, e nas quentes, o ano todo. Onde você jogar as sementes, terá dessa verdura deliciosa.
.
Cultivo: aprecia sol pleno ou luz filtrada, umidade e alguma fertilidade. Mas é rústica, encontro nascendo até em calçada.
.
Uso: a planta toda, crua ou cozida. As folhas são mais suaves que as flores, muito gostosas num refogado oi sopa (tacacá 😍). Mas sim, mesmo as folhas deixam a boca anestesiada. A culinária amazônica é especialista em uso dessa folha, se não provou, não sabe o que está perdendo 🙂
.
Dica: bote jambu no molho de pimenta. Fica booooom.
.
#guilhermeranierijambu #jamburana #extratodejambu #jambu #culinariaamazonica #culinariaparaense #hortalicastradicionais #panc #matosdecomer



Source